G-HP0SFRV0F4
 

Perda de peso pós-parto: é hora de fazer dieta?

Contrariando o que algumas capas de revista dizem por aí e, principalmente, os registros de “antes e depois” que costumam pipocar nas redes sociais de atrizes e influencers, a perda de peso pós-parto não acontece num passe de mágica. O processo leva tempo e nós, mães, precisamos aprender a respeitá-lo.



Cuidar de um recém-nascido, amamentar, ajustar-se a uma nova rotina e se entender e/ou se perceber como mãe são coisas que já tornam o pós-parto muito complexo. Se ainda ficarmos nos cobrando para que o nosso corpo volte logo a ser o que era antes “porque o da fulana, com dois meses, já estava incrível”, a situação pode ficar ainda mais difícil. E pior: extremamente frustrante!


Depois de dar à luz, seu corpo precisa de uma boa nutrição para se curar e se recuperar. Quando você adota uma dieta com restrição calórica, visando agilizar sua perda de peso pós-parto, assume o risco de ficar sem nutrientes importantes para a produção de leite do seu bebê e para a manutenção do seu próprio organismo. Como consequência, você se sentirá muito mais cansada do que o normal e sem energia para as tarefas básicas do dia a dia. Justamente o oposto do que você precisa ao cuidar de um recém-nascido.


Logo, se você quer se sentir bem e garantir uma perda de peso saudável e, mais do que isso, sustentável no longo prazo, mantenha estas dicas em mente:


Não comece a fazer dieta cedo demais


Aguarde, pelo menos, seis semanas antes de começar a pensar na sua ingestão de calorias e no quanto você precisa emagrecer. Se você estiver amamentando, espere até que seu bebê tenha pelo menos 2 meses antes de tentar perder peso. Sendo paciente e dando ao seu corpo a chance de fazer seu trabalho, você pode se surpreender com quanto peso você perde naturalmente, especialmente durante a amamentação.


Tenha objetivos realistas


Muitas mulheres passam por mudanças corporais permanentes depois da gravidez. O quadril pode ficar um pouco mais largo, a cintura levemente maior e tudo bem. Pense que em um período de 9 meses, seu corpo passou por um processo fabuloso e foi capaz de gerar uma nova vida!! Tem coisa mais preciosa do que isso? Logo, precisamos aceitar que, junto com esse milagre, podem vir algumas transformações físicas. Você é a mesma pessoa que era antes da maternidade, com os mesmos objetivos e prioridades? Então porque se cobrar tanto e exigir que o seu corpo seja? Pense nisso!


Ao invés de dietas, foque em atividades físicas


Se a questão da perda de peso for, de fato, muito importante para você, antes de cogitar uma dieta com restrição calórica, tente encaixar algum exercício físico à sua rotina. Além de trazer benefícios para a sua saúde como um todo, essa também é uma excelente forma de garantir que você esteja perdendo gordura em vez de músculo. Lembrando que não estamos falando de idas diárias para a academia, com treinos longos e pesados, uma simples volta no quarteirão com seu bebê no carrinho já pode ser um excelente começo.

Claro, importante ter a liberação médica e fazer atividade com acompanhamento de profissional especialista.


Não pule refeições


Encontrar tempo para comer, tendo um bebê novo em casa, pode ser difícil. Mas, pular refeições vai fazer com que seus níveis de energia fiquem comprometidos ​​– e isso não vai te ajudar a perder peso, só te deixará cansada e mal humorada.


Dê uma atenção especial ao café da manhã e tente encontrar seu formato ideal de rotina alimentar. Mas não deixe de comer. Em nenhuma hipótese. Se for possível, mantenha opções de lanchinhos saudáveis sempre à mão, como mix de nuts com frutas secas, legumes cortadinhos, frutas frescas e sucos naturais.


Beba água


Manter-se hidratado é fundamental em qualquer fase da vida, mas principalmente para quem está em busca de perder peso. Além disso, se você está amamentando, a água também ajuda a repor os líquidos perdidos pela produção de leite. Por isso, hidrate-se. Sempre. O tempo todo.


Evite alimentos processados e ricos em açúcar


Embora possam ser tentadores, produtos processados, cheios de açúcar e gorduras não saudáveis, são ricos em calorias e geralmente pobres em nutrientes. Portanto, ao escolher alimentos no supermercado, leia os rótulos e observe a lista de ingredientes, se o açúcar estiver entre os primeiros itens listados, provavelmente é melhor evitar esse produto.


Para finalizar, é importante reforçar algo que nós sempre fazemos questão de citar por aqui: o respeito às individualidades. Se basearmos nossas expectativas de resultado em cima do que aconteceu com o outro, teremos sempre grandes chances de nos frustramos.


Por isso, aproveite o seu momento, use esse período para estreitar ao máximo seus laços com o bebê, afinal, vocês ainda estão se conhecendo e foque no que realmente importa: a sua recuperação e o desenvolvimento do seu filho.


Acredite, todo o resto vem depois, como uma consequência natural.


Não quer lidar com tudo isso sozinha e precisa da ajuda de uma profissional em nutrição materno-infantil? Conte comigo. Estou à total disposição para deixar esse processo mais leve para você.

0 comentário