Entenda por que você não deve deixar seu filho comer assistindo à TV

Atualizado: 28 de jul.

Como nutricionista materno-infantil, eu sempre reforço por aqui a importância de desenvolver no seu filho uma boa relação com a comida. E isso vai além de aceitar bem os alimentos novos e se adaptar facilmente à introdução alimentar. Desenvolver uma boa relação com a comida significa conhecer verdadeiramente os aromas, sabores e texturas dos alimentos, entender que existem diferentes grupos alimentares e, acima de tudo, não associar, de forma alguma, a comida ao sentimento de culpa.

Mas, paralelamente a tudo isso, também é preciso estar atento aos hábitos que cercam o momento da refeição e que vão se desenvolvendo nos primeiros anos de vida da criança. E um deles, cada vez mais frequente, é o uso excessivo de telas.


É muito comum ouvir relatos de mães cujos filhos só comem se estiverem distraídos por um tablet ou celular reproduzindo vídeos do YouTube sem parar... ou com uma TV ligada exibindo algum desenho específico, como Patrulha Canina ou Dora, a Aventureira.


No entanto, embora essa "estratégia" pareça inofensiva e funcional num primeiro momento, ela não pode ser uma solução de longo prazo.


Isso porque quando comemos na frente da TV, de um laptop, tablet e até mesmo de um livro, nossa mente está dando mais atenção ao que estamos vendo do que ao que importa de fato naquele momento, que é o ato de comer. Dessa forma, entramos em uma espécie de "piloto automático" e, quando nos damos conta, olhamos para baixo e percebemos que a comida quase acabou e mal nos lembramos o que foi que comemos. Já aconteceu com você?


Pois é exatamente isso que se passa com os nossos pequenos se eles comem assistindo a alguma coisa. De início, até pode parecer que funcionou: o prato ficou vazio e você respirou aliviada. No entanto, a criança nem se deu conta de quais alimentos comeu, de quais cores eles eram e que gosto tinham.


Um estudo de 2018, publicado na BMC Public Health, encontrou uma ligação entre o uso de telas e o comportamento alimentar não saudável entre crianças pequenas. De acordo com o estudo, as telas estão associadas ao baixo consumo de frutas e vegetais e à alta ingestão de lanches não saudáveis, como batatas fritas, biscoitos e chocolates. Ainda segundo a publicação, também é provável que o tempo de tela durante as refeições leve a um aumento nos lanches pós refeição. Isso ocorre porque as distrações da tela fazem a criança esquecer do quanto comeu e querer comer novamente. Por isso é tão importante prestar atenção ao que se come.


Momento especial em família

Principalmente no começo, enquanto seu bebê ainda está aprendendo a comer, é importante que ele faça uma associação positiva com a hora das refeições, para que ele entenda que aquele momento é especial e possa desfrutar dele como um todo, prestando atenção, aprendendo a mastigar com calma, manipulando os alimentos adequadamente e aproveitando a companhia das demais pessoas da casa.


Afinal, com a rotina cada vez mais corrida e ambos os pais trabalhando fora, pode ser difícil encontrar tempo para conversar e interagir como família. Por que não, então, aproveitar a hora da refeição para isso?


Limitações sociais

Além de todas as dificuldades citadas acima, a criança que cresce com esse hábito, também pode ter dificuldades para se alimentar fora de casa no futuro. Nesse caso, ir a festas de aniversário, jantares em família ou viagens pode se tornar um momento estressante para você e para ele, já que nem sempre será possível sacar um celular do bolso para que a criança possa se acalmar e manter sua rotina.


Como resolver o problema

Agora se seu filho já adquiriu esse hábito, não se desespere. É possível, aos poucos, desacostumá-lo às telas e fazê-lo focar na refeição. Aqui vão algumas dicas de como fazer isso.


  • Durante as refeições, peça para os pequenos observarem e dizerem as cores dos alimentos e as texturas, fazendo-os focar toda a sua atenção na refeição;

  • Transformar a atividade num super momento em família e aproveitar para perguntar e ouvir como foi o dia de cada um;

  • Envolver as crianças maiores no processo e chamá-las para ajudar a arrumar a mesa, montar seus pratos, etc;

  • Se as crianças são menores, propor brincadeiras para transformar o momento em algo divertido (pode ser brincar de adivinhar o que está comendo; dar pontos para cada alimento diferente que a criança provar; ou servir a comida de maneiras diferentes, utilizando forminhas fofas, com formatos de bichinhos, por exemplo.


Lembre-se que desfazer um hábito e criar um novo leva tempo. Por isso, não desista depois de uma ou duas refeições. Quanto mais tempo seu filho recorrer a uma tela durante as refeições, mais difícil será retirá-la depois.


Em caso de dúvidas, é só deixar um comentário aqui embaixo que eu volto para responder. E para quem está em busca de um acompanhamento mais individualizado ou ainda tem dúvidas sobre alimentação infantil, minha agenda de atendimentos está aberta. É só entrar em contato através do link de whatsapp que está no cantinho direito aqui do site.


0 comentário