6 alimentos que crianças pequenas não devem consumir

Atualizado: 28 de jul.

Quando o assunto é nutrição infantil, saber quais alimentos você NÃO deve dar para o seu filho é tão importante quanto saber quais estão liberados. Isso porque, muitas vezes, podemos cair em ciladas e acreditar que um produto é super saudável, quando na verdade ele é o oposto disso.

Como regra geral, sabemos que alimentos muito processados ​​e aromatizados artificialmente devem ser evitados sempre, assim como produtos ricos em açúcar. É o caso, por exemplo, dos doces e até mesmo de alguns sucos de caixinha, que muitos acreditam ser uma opção mais saudável, mas na maioria das vezes tem uma concentração altíssima de açúcar.


Esses alimentos, além de estarem cheios de ingredientes não saudáveis, também podem conter aditivos que prejudicam o desenvolvimento infantil e favorecem o surgimento de diversos problemas de saúde.


Mas será que são apenas esses?


Bom, para te ajudar eu fiz uma pequena lista de alimentos bem básicos, que quase todo mundo tem em casa e que você, na verdade, deveria deixar de fora da sua lista de compras mensal, para evitar que seu filho “caia em tentação” sempre que encontrá-los na despensa.


Vamos lá:


- Mel

Nós já falamos sobre ele aqui no blog, mas nunca é demais lembrar. O principal risco de oferecer mel antes do 13º mês de vida da criança é o botulismo infantil, uma intoxicação alimentar causada pela bactéria Clotridium Botulinum e que atinge o sistema nervoso da criança, podendo causar tremores e até paralisia. Além disso, vale lembrar que o ideal é que as crianças não consumam açúcar até os dois anos de idade.


- Gelatinas

Não sabemos ao certo como isso começou, mas existe uma falsa ideia de que a gelatina é uma sobremesa saudável. Não é. Na verdade, trata-se de um produto repleto de corante, aditivos e açúcar, que podem fazer muito mal à saúde e que não contribuem em nada para a nutrição da criança.


- Danoninho

Outra grande armadilha que permeia nossa memória afetiva. As propagandas nos anos 90 diziam que eles eram saudáveis e não podiam ficar de fora das lancheiras infantis. Na verdade, este é apenas mais um produto repleto de açúcar, conservantes e corantes. Além disso, é importante lembrar que ele é um tipo de queijo e não um iogurte! E mais um detalhe: nenhum derivado de leite deve ser oferecido até 1 ano de idade. Não se esqueça.


- Embutidos

Toda a família de embutidos parece prática e gostosa para compor os sanduíches da tarde, mas deve ser evitada. Com altos teores de gordura e sal - sem nem falar nos conservantes - eles não são a opção mais saudável para as crianças, embora elas, geralmente, adorem.


- Salgadinhos

Essa parece bem óbvia, mas ainda nos prega algumas peças. Por isso não se engane. Mesmo aqueles que trazem um aviso gigante dizendo que são assados e não fritos, possuem altas taxas de gordura trans, sódio e outros aditivos que não favorecem à saúde.


- Bolachas

Também entram na categoria das coisas que parecem claras, mas nem sempre são. Às vezes, elas tentam se vender por “integral”, “fit”, “natural”, mas não são nada disso. Portanto, fique sempre atento aos rótulos e, na dúvida, prefira evitar. Além disso, produtos com taxas muito altas de açúcar podem ser viciantes e contribuir para o desenvolvimento de problemas futuros como diabetes e obesidade.


- Refrigerante

Conhecem o conceito de caloria vazia? Os refrigerantes são excelentes exemplos disso. São aqueles alimentos com alto valor calórico, mas pouco ou nenhum valor nutricional. Verdadeiras bombas de açúcar que danificam os dentes e irritam o intestino.


Embora a gente saiba que é impossível monitorar constantemente o que seus filhos comem, principalmente depois que eles começam a ir para a escolinha e a frequentar a casa dos amigos, você pode ensiná-los desde pequenos a evitar alimentos nutricionalmente abaixo do padrão e orientá-los sobre alternativas mais saudáveis.


Qualquer dúvida, deixa pra gente nos comentários que eu volto pra responder.


0 comentário