G-HP0SFRV0F4
 

Coisas que podem reduzir a produção de leite materno e como driblar o problema

Atualizado: 28 de jul.

Preocupações com uma possível baixa produção de leite são frequentes entre as novas mamães, principalmente nas primeiras semanas. Como tudo ainda é muito novo, é comum nesta fase que a mulher se sinta insegura e com dúvidas sobre o quanto de leite é necessário para que o recém-nascido esteja bem alimentado. E, nessa hora, a nossa cabeça tende sempre a pensar que eles precisam de mais do que nosso corpo tem conseguido oferecer.



Além disso, pesa o fato de que diferentemente do que acontece com a mamadeira, durante a amamentação não conseguimos ver a quantidade de leite que o bebê está realmente bebendo, e isso só aumenta o nosso estresse.


Outro fator que ajuda a deixar as mamães preocupadas é a perda de peso que acontece nos primeiros dias após o nascimento do bebê. Muita gente não sabe que essa perda é normal e acredita que essa diminuição pode estar atrelada a uma amamentação ineficaz. Mas isso não é verdade. Os bebês normalmente perdem até 10% do peso nos seus primeiros dias de vida e depois o recuperam em até duas semanas. Portanto, não se desespere. Apenas observe atentamente o desenrolar das próximas semanas. Se o crescimento do seu bebê estiver dentro do esperado, está tudo certo.


Agora, se a perda de peso se estender por um prazo maior, aí sim pode ser um caso de baixo suprimento. Neste caso, é importante que você converse com os profissionais que acompanharam a sua gravidez, para que eles possam te ajudar a fazer o diagnóstico correto. Isso porque, muitos pais têm como base de comparação o crescimento do bebê de um familiar ou de um amigo e as crianças não devem ser “padronizadas” dessa forma. Existem bebês que vão ganhar mais peso e outros menos. E isso não significa, necessariamente, que um deles está com problemas. O que importa aqui é que ele se mantenha em crescimento contínuo, ainda que de forma mais lenta.


Mas, afinal, o que causa a baixa oferta de leite?

Bom, embora ela possa ter várias causas, podemos dizer que as mais comuns são:


Baixa frequência da amamentação

Nas primeiras semanas, você deve amamentar de oito a doze vezes por dia, ou seja, a cada duas ou três horas mais ou menos, em livre demanda. Quando seu bebê mama, os hormônios que fazem com que seus seios produzam leite são liberados. Logo, quanto mais você amamenta, mais leite você produz. Uma outra dica é, sempre que possível, bombear leite para estimular ainda mais essa produção. Tente bombear, por exemplo, sempre que você perceber que ainda tem leite - mesmo depois que seu bebê parou de mamar - ou quando ele estava dormindo e perdeu uma mamada ao longo do dia.


Fatores emocionais

A ansiedade, o estresse e até mesmo o constrangimento também podem interferir no reflexo de descida e fazer com que você produza menos leite. Se este é o seu caso, tente criar um ambiente privado e relaxante para a amamentação, tornando a experiência agradável para você e livre de qualquer mal-estar.


Condições médicas

Algumas condições médicas podem interferir na produção de leite, como hipertensão induzida pela gravidez; diabetes e síndrome do ovário policístico (SOP). Mais uma vez, a ajuda profissional é fundamental nesses casos. Não hesite em buscá-la.


Baixa ingestão de água

A quantidade de água que você ingere afeta diretamente o seu leite produzido. Afinal, seu corpo não poderá produzir leite em abundância se você estiver desidratado. Por isso, beba muita água todos os dias. Uma dica é tentar beber um copo de 240ml cada vez que amamentar, além de mais alguns ao longo do dia.


Cirurgia de mama

Não ter tecido glandular suficiente - devido a uma cirurgia de redução da mama, remoção do cisto ou mastectomia, por exemplo - pode interferir na lactação. Além disso, a colocação de piercings nos mamilos é outro procedimento que pode danificar os nervos que estão ligados à produção de leite materno.


A boa notícia é que é possível aumentar a produção de leite de forma natural, tendo a alimentação como nossa maior aliada. Uma boa alimentação, variada, saudável e equilibrada, além do aumento da ingestão de líquidos (água, alguns chás, sucos naturais) podem fazer a diferença no aumento da produção de leite. Conte com apoio de uma nutricionista materno infantil, para que ela possa te ajudar e adequar as suas necessidades durante esse momento tão especial.


Portanto, se você sente que está produzindo menos leite do que deveria ou se percebeu que sua produção diminuiu em algum momento, procure uma nutricionista materno infantil. Com mudanças bem simples na sua alimentação, é possível driblar o problema e voltar a oferecer a quantidade adequada de suprimento ao seu bebê. Dúvidas? Deixe nos comentários que eu vou amar voltar para respondê-las.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo