Cafeína na gravidez: está liberada ou é melhor cortar?

Muita gente acredita que o dia só começa de verdade depois de uma boa xícara de café. No entanto, se você está grávida, essa pode ser uma questão bem polêmica. Afinal, gestantes podem ou não podem ingerir cafeína durante a gravidez?


Imagem: Unsplash - Jessica Lewis

A verdade é que ainda é tudo muito obscuro com relação a esse assunto. O que se sabe é que a cafeína pode atravessar, sim, a placenta e chegar até o bebê. Por isso, alguns estudos associam o consumo muito alto de cafeína a um risco maior de perda de gravidez e menor peso ao nascer.


As diretrizes do NHS (sistema de saúde britânico) e também o American College of Obstetricians and Gynecologists, dizem que 200 mg de cafeína por dia — o equivalente a duas xícaras pequenas de café — não são prejudiciais durante a gravidez. Aqui no Brasil, muitos especialistas também concordam com esse número.


Mas essa orientação não é unânime. Há quem discorde e prefira abolir por completo a cafeína da dieta, como é o caso do professor Jack James, da Universidade de Reykjavik, na Islândia.


O que fazer então?


Em primeiro lugar, é importante discutir essas coisas juntamente com um especialista. Seu médico ou seu nutricionista são os profissionais que irão poder analisar especificamente o seu caso e definir o que é melhor ou não para você.


Mas, em linhas gerais, a nossa principal orientação é para que se tenha atenção às quantidades de cafeína que são ingeridas diariamente.


Portanto, é fundamental ficar de olho no quanto de cafeína você está consumindo. Agora, se você nunca teve o costume de tomar café antes, não há razão para começar a fazê-lo justamente quando estiver grávida, certo?


"Ah, Rebeca, mas eu sempre tomei café e nunca tive problemas pra dormir, por exemplo".


Isso é super comum. Existem pessoas mais ou menos tolerantes aos efeitos da cafeína. Mas, quando estamos grávidas, nosso corpo pode reagir de maneiras diferentes a itens que antes não nos faziam mal algum.


Ou seja, se antes você seria capaz de tomar três xícaras de café por dia sem problemas, durante a gravidez é possível que uma única xícara pequena piore sua azia ou lhe provoque alguns tremores. Algumas mulheres relatam que o paladar muda durante a gestação e que alimentos que elas antes amavam, deixam de ser tão agradáveis assim.


Além disso, também existem estudos que mostram que a cafeína atrapalha a absorção de ferro, o que aumenta o risco de deficiência desse mineral, podendo levar a um quadro de anemia. Na gestação a demanda deste mineral é alta então, se você já sofre com baixa absorção de ferro, busque orientação de um especialista, caso esteja com dúvidas do que fazer.


Dicas para reduzir a cafeína durante a gravidez


Como é sempre melhor abusar da cautela quando você está grávida, considere reduzir a cafeína para uma ou duas xícaras (pequenas) por dia, no máximo. Se até isso te parecer muito difícil, existem algumas maneiras práticas de tornar o processo um pouco mais tranquilo.


Descubra do que você mais gosta

Se para você, a melhor parte do café é o sabor da bebida, mude para a versão descafeinada. Hoje em dia, até o café espresso já possui versão descafeinada em muitos mercados e lojas especializadas. Se atente apenas pelo processo utilizado, no caso, o recomendado é a base de água.


Agora, se seus preferidos são os refrigerantes ricos em cafeína, tente substituí-los - com moderação - pela água com gás saborizada (evite as ricas em açúcar ou coloridas artificialmente).


Já os viciados na energia que o café traz podem obtê-la de forma ainda mais saudável com um lanche de carboidratos complexos e proteínas; exercícios físicos regulares (uma caminhada de 10 minutos já pode ser o suficiente); e boas noites de sono.


Reduza aos poucos

Passar de cinco xícaras de café diárias para zero em apenas um dia tende a te deixar irritada e com dor de cabeça (a última coisa que você precisa durante a gravidez, certo?). Portanto, adote uma abordagem gradual.


Comece cortando uma xícara por dia até chegar à marca estabelecida com a sua nutricionista. Se isso te parecer muito rápido, vá trocando o café normal pelo descafeinado, num primeiro momento, e depois reduza a quantidade de xícaras diárias.


DICA EXTRA: pegue o dinheiro do café que você gasta toda semana (seja na máquina do trabalho ou na cafeteria que você ama) e coloque-o em um pequeno cofrinho. No final da semana ou do mês, use esse valor para se presentear com um mimo (manicure, cabeleireiro, massagem... o que você preferir). Você vai ver como funciona!


Embora a ideia de reduzir mais um item básico em sua dieta possa ser frustrante, lembre-se de que não é para sempre. Em breve, você poderá beber algumas xícaras por dia do seu café favorito novamente sem se preocupar.


O período da gravidez passa muito rápido, mas é fundamental para o desenvolvimento saudável do seu filho. E ao final desse tempo você verá o quanto tudo valeu a pena.


Tem alguma dúvida sobre o consumo de cafeína na gravidez? Então deixe aqui nos comentários que eu volto para responder. Combinado?


Lembrando que a minha agenda de atendimentos está aberta e você também pode consultá-la clicando no link.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo