Engravidou? Saiba quais alimentos devem ser evitados durante a gestação

Atualizado: 28 de jul.

Quando você descobre que está grávida, principalmente do primeiro filho, é normal que surja um turbilhão de emoções e dúvidas sobre o que você deve fazer, do ponto de vista nutricional, para que seu filho cresça e se desenvolva adequadamente.


E essa preocupação é extremamente válida, afinal, toda mãe quer o melhor para o seu bebê. Por isso, tão importante quanto tomar suas vitaminas pré-natais para obter nutrientes como ácido fólico e ferro e seguir uma dieta bem balanceada, é saber quais alimentos não devem ser consumidos durante este período, para evitar problemas tanto para você quanto para a criança.



No entanto, antes de iniciarmos a nossa lista, é importante destacarmos o porquê dela existir. Durante a gestação, o sistema imunológico da mãe fica enfraquecido. Com isso, a pessoa fica mais suscetível a bactérias, vírus e outras coisas que podem causar doenças transmitidas por alimentos, como E. coli, salmonela, listeria e toxoplasmose, por exemplo. E essas contaminações podem não apenas deixá-la doente como, em casos graves, causar parto prematuro ou até mesmo aborto espontâneo.


Além disso, quase tudo que você ingere está passando para o seu bebê em crescimento. Logo, se você come alimentos ultraprocessados, ricos em gordura, sódio e açúcar, tudo isso vai afetar ele também.


Por isso, evite alimentos crus, como peixes, crustáceos, carnes e ovos. Fique longe de peixes ricos em mercúrio, como o atum, não coma queijos não pasteurizados, reduza a ingestão de cafeína, sempre higienize muito bem as verduras e os legumes, principalmente os que forem ingeridos crus, e corte as bebidas alcóolicas.


Muita coisa, né? Vamos explicar melhor cada um deles? Então confira abaixo:


  • Carnes cruas e mal passadas, peixes crus e ovos crus ou mal cozidos – todos esses produtos oferecem risco de transmissão de doenças como salmonela, toxoplasmose, listeria, difilobotríase. Por isso, certifique-se de que eles estejam sempre muito bem cozidos - ou assados, no caso das carnes. Além disso, alguns peixes ainda têm o risco da contaminação por metais pesados, como mercúrio, e devem ter seu consumo reduzido a 1 ou 2 porções máximas por semana.


  • Bebidas alcoólicas – o efeito do álcool no bebê é 8x maior do que no adulto, podendo levar a malformações, síndrome alcoólica fetal e parto prematuro.


  • Cafés – o excesso de cafeína pode deixar o bebê agitado e levar à dependência, além de proporcionar baixo peso e risco de aborto. Cafés de cápsula também são contraindicados, pois contém alumínio e bisfenol A. Vale lembrar que a cafeína também está presente em alguns chás, refrigerantes à base de cola, energéticos e chocolates. Então, fiquem atentos.


  • Chás de qualquer origem que não de frutas – não são feitos estudos com gestantes e bebês e, por isso, não há segurança em consumi-los. Também não há dados suficientes sobre o efeito das plantas na gestação, algumas, inclusive, já sabemos que são contraindicadas.


  • Alimentos ultraprocessados – possuem grande quantidade de sódio, açúcar, conservantes e gordura trans, ingredientes que não agregam nenhum valor nutricional. Como a gestação é um período em que precisamos de muitos nutrientes para garantir a saúde do binômio mãe-filho, vale priorizar alimentos saudáveis e ricos em vitaminas.


  • Queijos e leites crus – também podem causar contaminação por listeria. Já os leites pasteurizados ou UHT estão liberados, assim como queijos fabricados com leite pasteurizado. Exemplo de queijos que devem ser evitados: roquefort, gorgonzola, camembert, brie e feta. Vale ficar atento, também, se o queijo possui o selo SIF, pois ele é mais uma segurança contra contaminações. Aliás, essa é uma dica válida para tudo e em qualquer momento da vida: leiam sempre o rótulo dos alimentos e a lista de ingredientes que ele possui.


  • Adoçantes – não devem ser utilizados por gestantes, salvo algumas condições. Apesar de alguns serem seguros, eles causam impacto na programação metabólica.


E claro, como acontece com a maioria das coisas relacionadas à gravidez, se você não tiver certeza sobre o que é seguro comer ou beber e o que não é, converse com sua nutricionista e tire suas dúvidas. Ou, deixe sua pergunta aqui nos comentários que eu volto para responder.


A gravidez é um dos momentos mais importantes da vida de uma mulher. Por isso, curta cada momento e siga as orientações dos profissionais que te acompanham.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo