top of page

Pode congelar a comida do bebê? Saiba quais alimentos ficam incríveis mesmo depois de descongelados

Os benefícios de cozinhar em casa a comida do bebê são inúmeros, mas podemos listar três como os principais: a criança recebe refeições frescas e preparadas com carinho, o custo é significativamente menor do que qualquer alternativa comprada pronta em lojas por aí, e você sabe exatamente o que está colocando no prato do seu filho.

No entanto, é preciso dizer que, muitas vezes, essa rotina pode dar trabalho, principalmente se a família não possui esse hábito de cozinhar em casa: você vai ter que higienizar tudo muito bem, descascar, cortar, cozinhar, ferver, assar, misturar e, depois, limpar todos os utensílios de cozinha que foram usados.


Somando-se a isso o fato de que os alimentos sólidos são inseridos na dieta do bebê justamente após os seis meses, que é quando a mãe costuma retornar ao trabalho, fica tudo ainda mais difícil.


No entanto, vou te contar um pequeno segredo: a comida caseira do seu bebê não precisa ser uma maratona diária complexa e exaustiva.


O truque aqui é fazer lotes maiores de alimento, porcioná-los na quantidade adequada para uma refeição e congelá-los em recipientes próprios para isso. Dessa forma, você pode cozinhar várias refeições ao mesmo tempo, reduzindo consideravelmente o tempo diário de preparo e garantindo que a criança vai ter acesso a comida caseira de verdade, com total controle dos ingredientes escolhidos.


Seu maior aliado: o freezer

Quando bem utilizado, o freezer pode se tornar seu melhor amigo ao longo desta etapa (e acredite: você nunca mais cozinhará da mesma forma depois disso).


Mas a maior dificuldade que eu percebo no meu consultório é que muita gente ainda não tem o hábito de congelar alimentos prontos ou semi-prontos e, por isso, não sabe quais itens podem ou não ser congelados.