G-HP0SFRV0F4
 

Engravidei! Preciso mesmo comer por dois?

Atualizado: 28 de jul.

Quem nunca ouviu - ou disse - a frase “estou grávida, agora preciso comer por dois”, que atire a primeira pedra.



De modo geral, todas nós crescemos com essa ideia na cabeça, de tanto ouvir as pessoas ao nosso redor repetindo isso. Principalmente as nossas avós.


Mas sinto dizer, meninas, que esse é mais um daqueles grandes mitos que envolvem a gestação.


Sim. Um grande e até perigoso MITO.


Explico. Mulheres grávidas precisam, sim, de muitos nutrientes extras, como vitaminas, minerais e proteínas, etc. Nós, inclusive, já falamos disso aqui no blog, se você quiser conferir. Mas as necessidades calóricas em si, ou seja, as necessidades de energia, não são muito maiores do que as de uma pessoa não grávida.


Uma média de 300 calorias a mais na dieta, a partir do segundo trimestre já é mais do que suficiente para garantir o desenvolvimento saudável do bebê, podemos inclusive ver sobre isso no artigo "Nutrição na Gravidez e na Lactação", publicado pela Revista Médica de Minas Gerais (RMMG). Isso, equivaleria a aproximadamente, uma banana e uma manga, por exemplo. Ou seja, não é muita coisa. E, definitivamente, não dá pra interpretar como "comer por dois". Claro, vale ressaltar que, isso irá variar para cada gestante.


Aliás, essa ideia de que a mulher precisa comer duas vezes mais quando está grávida, não só é equivocada como pode trazer problemas para a gestação. Isso porque ganhar muito peso ao longo da gravidez oferece inúmeros riscos à saúde da mãe e do bebê, incluindo pré-eclâmpsia, diabetes e até parto prematuro.


De modo geral, algumas recomendações básicas que são importantes e podem te ajudar são:


  • Evite alimentos com alto teor calórico/alto teor de açúcar e baixo teor de nutrientes

  • Beba bastante água, pelo menos 2-3 litros por dia

  • Adote uma dieta saudável e equilibrada

  • Não pule refeições, pois isso pode levar a quadros de instabilidade na sua taxa de açúcar e ainda piorar a ocorrência de náuseas e vômitos.


Além disso, é importante lembrar sempre que cada gravidez é diferente e pode exigir cuidados especiais, dependendo do estilo de vida da gestante, da sua idade e de uma série de outros fatores que precisam ser levados em conta na hora de montar seu planejamento alimentar. O mesmo vale para pessoas que possuem restrições alimentares como intolerância a lactose e/ou ao glúten, vegetarianos e veganos.


Portanto, se possível, procure ajuda profissional e consulte uma nutricionista materno-infantil. Além de te auxiliar com todos os cálculos necessários de peso ideal a cada etapa da gravidez, quais alimentos devem ser ingeridos e quais devem ser evitados, nós ainda podemos te ajudar a controlar os enjoos matinais e contornar possíveis aversões à comida, que também são comuns a muitas mulheres.


E tenha sempre em mente: quanto mais você souber e quanto mais você puder planejar, maior a probabilidade de você ter uma gravidez realmente saudável e bem-sucedida.


Ah, e por curiosidade, você também achava que grávidas precisavam "comer por dois"? Conhece alguém que ainda acredita nessa teoria? Então compartilha com ela esse texto e vamos juntas ajudar a desmistificar essa ideia, combinado?


Em caso de dúvidas, não se esqueçam de deixar nos comentários que eu volto pra responder.


0 comentário